Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

Bookish by the sea

Bookish by the sea

Conversations on Love, Natasha Lunn

bookish wahini, 23.09.22

Conversations on love.jpg

Consegui! Mais de um mês depois de completar o meu reading challenge de 2022, consegui finalmente terminar um novo livro. 

Como escrevia aqui na semana passada, desde meio de agosto que estou numa "reading slump". Peguei em vários livros sem nunca conseguir passar das primeiras páginas. Até que comecei este livro!

O facto de ser de um género que eu não leio regularmente (não-ficção) e de ter imensas quebras de texto que permitem ir lendo aos pouquinhos sem ficar com ideias penduradas ajudou bastante. E claro que ser um tema interessante também ajuda muito!

A primeira vez que ouvi falar deste livro foi no podcast "Livra-te" e o conceito pareceu-me super interessante. Nele, Natasha Lunn entrevista vários autores (desde psicólogos, jornalistas, escritores, etc.) sobre as diversas facetas do amor, algumas até muito pouco óbvias. A abordagem é efetivamente muito completa.

O livro está dividido em três seções, cada qual com um subtema. Fala-se de como encontramos amor, como o mantemos e do que acontece quando o perdemos. No fundo fala-se do bom, do mau e de tudo o que fica no meio. E isso reflecte realmente a complexidade das relações humanas.

Um dos aspetos que achei bastante interessante é que o livro não se limita a falar do amor romântico, que é aquele que estamos mais formatados para pensar como amor. Discute também o amor na amizade, com a família e até em atos de generosidade com estranhos. Nesse aspeto, acho que esta leitura foi para mim uma espécie de continuidade do "Everything I Know About Love" (o livro de memórias de Dolly Alderton, que li em janeiro e que estará com certeza no top dos favoritos de 2022), ou não fosse a autora uma das entrevistadas por Natasha Lunn.

"Conversations on Love" não é contudo o tipo de livro que se lê de enfiada, mas é daqueles que se anota mil passagens diferentes. Dei por mim a ler cada entrevista e a fechar o livro para poder, com calma, absorver a mensagem e pensar sobre cada ideia. E nos entretantos as notas do meu telefone iam aumentando e aumentando.

Deixo-vos algumas das minhas passagens favoritas:

"For years, I was committed to longing. Longing for a reply to a text message, for an 'I love you', or for a man to look at me a certain way. If I was in a relationship, I longed for it to last, and if I was wasn't I longed to find one. My longing was a restlessness that spread into my life like a mist. I could not see anything clearly with it there. I used to think it was love that I was longing for, but I was wrong. I was obsessed with the idea of love, not the truth of it."

"(...) how a youthful imagination can take the scant details of an ordinary connection and build another world inside it."

"(...) life is not a love story, but many."

"Life is not a pursuit these days, it's a mandate. (...) You know 'good enough' is not in vogue any more, it's all about the best. So you don't just leave because you're really unhappy, you leave because you believe you can be happier."

"To sustain friendships - old and new - I think we have to learn when to accept distance and when to fight to repair it."

"An old friendship is one of those things that helps you remember who you are in the world and that's so valuable."